Dualidade

Somos seres de luz e sombra. Contudo, embora o autoconhecimento seja uma das mais enrique­cedoras experiências humanas, essa é, também, extremamente forte e, por vezes, dolorosa, pois à medida que procuramos nossa luz encontramos também nossa sombra.

Luz e sombra são metáforas para dar sentido à nossa duali­dade existencial. Há muitas teorias e filosofias que lhe dão outros nomes, talvez a versão mais conhecida dela venha da tradição oriental: o yin e yang.

Todas essas versões duais nos fazem entender que somos, ao mesmo tempo, pessoas maravilhosas e pessoas ruins. Que somos seres iluminados, mas também sombrios.

Nossa dualidade não está escondida. Ao contrário, ela está exposta e as pessoas a veem com muita clareza. Nós, no entanto, temos dificuldade em enxergar essas nossas características.

Alguns enxergam apenas a sua luz e veem nos outros apenas sombras. Outros enxergam em si apenas sombras e não conseguem encon­trar seus potenciais, sua bondade, sua luz.

Em ambos os casos há um problema a ser enfrentado. Entenda que nossas sombras fazem parte de nós. É muita ingenuidade de algumas pessoas quererem se desligar de suas sombras, acabar com elas, eliminá-las.

Nossas sombras são parte de nós e da nossa personalidade. Temos, antes, que aprender a lidar com essas e nunca deixar que sejam predominantes nas nossas relações intra e interpessoais.

A Importância de Honrar e Respeitar sua Luz e Sombra é primordial, pois somos seres duais, nosso cérebro é divido em duas partes, lado direito e esquerdo.

Sobre isso, há uma frase extremamente útil para pensarmos. No livro Efeito sombra, Deepak Chopra afirma que: “O primeiro passo para derrotar nossa sombra é abandonar todas as expectativas de derrotá-la, quem falar em vencer já perdeu”.

Isso ocorre porque fomos criados para acreditar que o “bem vence o mal”, mas quando falamos da constituição humana esse “mal” não é uma figura a ser derrotada, vencida, mas integrada, compreendida, já que ela nos constitui.

Não há vitória do bem contra o mal. Nesse caso, o bem jamais vencerá o mal, porque esse mal também faz parte de nós e precisamos integrá-lo em nosso ser.

É um conflito que só se vence com a integração, nunca com a separação. A alma humana é um lugar de ambiguidade, contradição e paradoxo.

Por isso, o inconsciente e o transcendente são tão cer­cados de mistérios, porque para compreendê-los é preciso cessar todo o julgamento e encarar o que chamamos de “mal” de uma nova forma.

Por isso, o termo “sombra” é mais adequado, porque “sombra” e “mal”, aqui, não são exatamente sinônimos. Todos nós temos sombras. Você já viu algum homem sem sombra?

Assim, somos luz, pois somos pessoas maravilhosas, incrivel­mente capazes, bondosas, amáveis, inteligentes, iluminadas. De ou­tra forma, somos igualmente terríveis, cruéis, muito ruins e obscuros.

São nossas polaridades e tudo na vida é dividido em ambiguidades.

Conheça e viva suas polaridades de forma equilibrada, emanando sua luz e não se deixando vencer por suas obscuridades. Honre e respeite sua luz e sombra.

O que você está esperando pra viver a sua melhor versão?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s